Untitled Document ....

JoomlaStats Activation

Boas Festas

    Nunca mais é Natal, pois não? :D     Um Bom Natal e um Próspero Ano Novo são os meus vo...

VPA-La Guardia-Oia-St. Tecla

Passeio a reconhecer o caminho de Santiago pela costa via La Guardia e Baiona.   www...

Eu votava nele Smile

Para grandes problemas, grandes remédios...   www.youtube.com/V-fWN0FmcIU  ...

Substituição de Rolamentos - Montar

Está montada, e não sobraram peças lol A Canyon ES9 de 2007 usa dois tipos de rolamentos. 6 ro...

Passeio na Pasteleira Smile

    Isto está um pouco desorganizado. Nunca cheguei a publicar no Blog a apresentação da Singular ...

  • Boas Festas

    Quinta, 22 Dezembro 2011 10:50
  • VPA-La Guardia-Oia-St. Tecla

    Terça, 30 Agosto 2011 13:30
  • Eu votava nele Smile

    Quinta, 04 Agosto 2011 09:25
  • Substituição de Rolamentos - Montar

    Quinta, 07 Julho 2011 13:03
  • Passeio na Pasteleira Smile

    Terça, 05 Julho 2011 22:37

Ter

22

Mai

2007

Borliú - V.P.Âncora-V.Mouros-Caminha II [reconhecimento] Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por Bravellir   
AddThis Social Bookmark Button

 


Reconhecimento

 

O tempo não está nada de jeito, mas promete piorar, por isso, se é para fazer reconhecimento é já. Por outro lado ando em pulgas por causa de fazer um pequeno pedaço de trilho que "recolhi" num track GPS dos Rampinhas.

 

Para variar e não apresentar exactamente o mesmo percurso aos Borliús, vou juntar este pedaço de trilho a um que eu já conhecia. Vamos subir de novo à Srª das Neves mas por outra encosta.

 

Na praia de Vila P.Âncora está pessoal a apanhar banhos de sol .. loucos..

 

Cheguei à Gelfa. O ponto de encontro é aqui. O percurso arranca directo para a 1º subida. Vai ser complicado sem aquecimento. Ou aquecemos às voltas no parque de estacionamento ou vamos dar a voltinha pelo single no Forte do Cão. Domingo decide-se.

 

Aponto a bicicleta ao estradão e lá vai disto. Agora é que vou ver se o empeno em Idanha foi só do calor ou não.


Sobe.. bom piso, gravilha, mas sobe. Devagarinho lá vou avançando. Passa um carro por mim a descer. A condutora olha para mim incrédula. Deve estar a pensar que raio de maluco se mete pelo monte acima com um céu daquela cor. Um maluco com uma missão.. passar mais umas boas horas de qualidade a fazer uma coisa que adora.


Afinal Idanha não foi só o calor. Tenho de parar duas vezes para respirar. Isto não está famoso. Mas com calma... só preciso de me distrair. Este estradão é monótono...

 

Mas o que é aquilo?? Humm... Ao passar a Suvidade, encontro um cruzeiro, incrível como nunca tinha reparado nele, e por detrás uma calçada que quase que parece romana, não fosse o seu bom estado fazer suspeitar que é bem mais moderna.


E agora, continuo por este estradão e no trilho, ou invento e vou descobrir onde vai parar aquela calçada??? Pergunta estúpida.. claro que me vou meter à descoberta.

 

Clique para Ampliar

 

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

Bolas... a calçada sobe bem mais que o estradão... Sobe aos ss pela encosta. Não tenho a certeza, mas parece parte de um percurso de peregrinação... será dos Caminhos de Santiago pela costa?? Não deve ser.. Tenho ideia que esse passa um pouco mais para o interior. Uma questão para investigar.


Mais acima a calçada desaparece levada por chuvadas de outros tempos e fica apenas um trilho com alguma pedra, tecnicamente complicado, com pequenos troços não cicláveis.

 

Estranho.. Barulho de um carro. De onde estou, consigo ver o estradão mais abaixo. É um carro da brigada de transito da GNR. Que raio é que andam por aqui a fazer???


Mais uns metros e estou de volta ao estradão, mas no troço que leva ao parque éolico de Stª Lúzia. Já que estou aqui, pedalo mais uns metros pelo estradão, que já não sobe tanto :D , e vou à curva mais à frente de onde se pode ver o mar e o farol de Carreço.

 

Oportunidade de tirar umas fotos e voltar a descer o estradão, passar o fim da calçada e continuar a descer mais um pouco até ao entroncamento do estradão que vem da Gelfa com o que segue para a Srª da Cabeça.

 

A 1º subida está feita. Agora fico na dúvida. No domingo, subir sempre pelo estradão ou subir a calçada?? Na altura decide-se.


Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 


A partir daqui, não conheço o trilho. É um estradão mas de terreno mais compacto. Bem mais confortável e divertido. Acompanha a encosta, desce e sobe um pouco, mas vai perdendo cota. Tem bastantes árvores o que é raro por estes lados onde os incêndios têm levado mesmo tudo.


Termina mesmo por cima da Srª da Cabeça numa bonita zona arborizada que dá para perceber como devia ser toda esta zona noutros tempos.. faz-me desejar ter nascido à 100 anos atrás...

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

No entroncamento com o estradão que segue para Outeiro, existe uma velha casa de guarda florestal em ruinas e uma seta que indica um ponto de água a 1km para o lado de Outeiro. Vou espreitar. Afinal é apenas um tanque de apoio aos bombeiros com algumas rãs mas que se estiver calor dá para refrescar o corpo. Volto atrás e continuo a descer até apanhar asfalto e a Srª da Cabeça.

 

Clique para Ampliar

 

Encontro esta placa na estrada por onde desci. Nesta zona o acesso é restrito por causa dos incêndios.. Triste, mas necessário.. Será que era isso que a GNR andava a fazer? Fiscalizar? Mas de carro da brigada em vez de Jeep?? Mistério Wink

 

Tempo de fazer uns cálculos. Uma hora de caminho e cerca de 14 Kms. Não é brilhante mas tambem não é muito mau.


São apenas umas centenas de metros de asfalto e empedrado e logo entro num trilho que escolhi pelo Google. Esta é a parte mais duvidosa do percurso, especialmente os últimos metros que mesmo na fotografia aérea do Google, mal se vêem.

 

Começa por ser caminhos rurais com uma passagem a vau de um ribeiro e continua pelos pinhais. Tudo bem, mas agora começa a parte que tenho mais dúvidas.

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

E o que é que acontece quando um gajo deixa a bike no meio do caminho e está tranquilamente a mudar a água às azeitonas?? Pois é.. tenho de acabar à pressa e tirar a bike porque umas das visões mais raras nas nossas matas acaba de me surpreender. Uma Pick-up de intervenção rápida dos serviços florestais.


Desço o trilho perdido. Quase que não se vê. Muitos ramos e pedras no chão. Pior. Acaba na berma do rio Âncora que está quase bloqueada com a madeira seca arrastada pelas inundações de inverno. Lá consigo passar e chegar ao rio.

 

Não tenho hipóteses. Não dá para passar sem molhar o pézinho. Tiro os sapatos e prendo no CamelBack, pego na bike e lá vai de vadear o rio que leva pouquissima água. Do outro lado, paro num micro areal para calçar de novo os sapatos e tirar as últimas fotos do dia porque me esqueci de carregar as pilhas.

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

Clique para Ampliar

 

Sigo o trilho. Tenho de caminhar mais um pouco por uma secção seca do leito do rio até apanhar o caminho que sobe até a estrada nacional.


Trilho complicado, dificilmente ciclável, que apenas compensa pela passagem do rio... Domingo sou capaz de experimentar outra passagem em vez desta.


E pronto. Estou na ponte de Sains, base de partida para a 2ª e última subida do dia. São cerca de 6,5 kms para chegar á Srª das Neves.

 

Parei um pouco. Comi uma sandocha, bebi um pouco de água, uns ajustes ao selim para baixar um pouco a ponta e subir o espigão que continua a descer sozinho Evil or Very Mad Evil or Very Mad Evil or Very Mad

 

E a promessa está cumprida. O céu carregado de negrume começa a deixar cair umas pingas e ouço os primeiros trovões. Subir ou não subir?? O céu para os lados da Srª das Neves está mais claro e é tao cedo.... vou subir Razz

 

Este trilho, velho conhecido, começa por ser bastante inclinado enquanto avança contornando a encosta pelo meio de uma vegetação de porte médio que esconde as paisagens. O isolamento é perfeito. Estou sempre à espera de surpreender um lobo na curva seguinte. Em vez disso é o empeno que me sopra na orelha. O piso é mau. Um misto de pedra solta, sulcos de água e piso de pedra contínua mas irregular. Um desafio para as pernas e para os rins, mesmo de FS. A Canyon ajuda e muito. Paro só três vezes no caminho até ao topo. Muito melhor que as "performances" anteriores eheh.

 

Após o 1,5 km, a vegetação muda e já se pode apreciar a paisagem, especialmente o imponente maciço rochoso da Srª do Minho. Mais um pouco e a inclinação abranda e aparecem uns metros planos que sabem como ginjas Smile .

 

Mas é sol de pouca dura. Logo a seguir o viaduto sobre a A28 e a subida final. Nunca mais chega a ter a mesma inclinação que no inicio, mas o piso e a paisagem continua , respectivamente, terrível e belíssima.

Estou a conseguir manter-me á frente da trovoada, mas cada vez está mais próxima. Os trovões e os relâmpagos são uma visão fantástica no meio do monte, mesmo de dia. Tenho uma vontade repentina de parar e esperar pela noite. Um destes dias faço um nocturno. Hoje não que nem flash da máquina fotográfica tenho :D


Estou no sitio onde o trilho se une ao que sobe dos 7 Caminhos. Já vejo a capela da Srª das Neves. Está quase.

 

Cheguei. :D E a chuva e trovoada também . Fui apanhado. Atesto o camelback, visto o impermeável e toca a subir os últimos metros antes de começar a DESCIDA :D :D :D.

 

É sempre a descer e a gritar até aos 7 Caminhos. Tirando os primeiros metros e um bocado a meio que tem mais pedra, o piso é bom e dá para atingir boas velocidades. Nos 7 Caminhos, continuo a descer na direcção de Venade e do trilho que está na minha cabeça desde o início. A meio deste caminho, de repente, e sem mais nada a avisar excepto um isolado e raquítico pinheiro e um monte de pedras, começa um single que desce abruptamente até .... Chão. Hehe perfeitamente apropriado. Este trilho acaba em Chão e eu apenas uma vez o consegui descer sem acabar no chão :D

 

Aponto a roda e lá vai disto. É a 1º vez de FS. Vou depressa, demasiado depressa. O trilho é muito estreito. Em certos sítios tem pouco mais de um palmo escavado no meio da erva e do mato. E a inclinação.. cada vez maior.. oops... quase.. saio do trilho, por pouco consigo entrar outra vez sem levar uma árvore comigo. Desce mais, agora é mais largo, mas escavado pela água. Fica uma parte melhor no meio. Vou demasiado depressa. Não sei como, estou no meio do mato. A bike está atrás no meio do trilho. Bolas... acabei no chão outra vez.... uns arranhões nos meus cromados. Os da bike parece que escaparam. Monto outra vez, desço o resto. Mais devagar mas não muito.. Nos limites, um rego, o mato nas pernas e os ramos baixos na cabeça. Aguento-me, oopps... não.. escapei outra vez e estou em Chão. No lugar de Chão hehe.. As pernas ainda tremem, o peito incha com ar, abano a cabeça com a idiotice que acabei de fazer... é demasiado perigoso para fazer assim depressa. Juro que para a próxima o faço mais devagar, mas é mentira... Já sei que quando voltar a meter a roda lá em cima vai ser igualzinho e só vou parar em Chão ou no chão :D:D:D

 

Estou satisfeito. Missão cumprida. Agora falta só rolar tranquilamente até Caminha e de volta à Gelfa .

 

Não há muito mais para contar. Uns kms de estrada até Caminha. A passagem junto ao ferry e os olhos em Stª Tecla. Domingo se o povo quiser, atravessamos de ferry e damos uma volta ao sopé do monte.

 

Passo pela mata do Camarindo. Debaixo de chuva tem outro encanto. Paro em Moledo para um café. Quase que não era servido. Olho por mim abaixo. Lama por todo o lado. Olho para o meu reflexo na porta do café. Um enorme sorriso. :D

 

Percorro o trilho entre Moledo e Vila Praia sempre de olhos no mar. Mais um bocado de estou de novo na Gelfa. Acabou :/ mas domingo há mais do mesmo :D:D:D:D


São 19:00. Foram cerca de 50kms em 5 horas com 900mts de acumulado. Domingo, a estes números acrescenta-se mais uma dúzia de quilometros e alguns metros de acumulado, se for decidido fazer os desvios a Dem para as Sandes de Presunto e pela Stª Tecla.

 

Apareçam Mr. Green Mr. Green

 

Publicado originalmente no forumbtt.net

 

 

Adicione o seu comentário

Very HappySmileWinkSadSurprisedShockedConfusedCoolLaughingMadRazzEmbarrassedCrying or Very SadEvil or Very MadTwisted EvilRolling EyesExclamationQuestionIdeaArrowNeutralMr. GreenGeekUber GeekSMILEYS_CHONEHSMILEYS_EISHSMILEYS_HAMMERSMILEYS_CLAPSMILEYS_ROTFLSMILEYS_YEAHSMILEYS_ZEZUSSMILEYS_NO1SMILEYS_CADEIRADASMILEYS_SORRYSMILEYS_EXACTOSMILEYS_PALHACOSMILEYS_PALHACO1SMILEYS_PALHACO2SMILEYS_PALHACO3
O seu nome:
Título:
Comentário:
  A palavra para verificação. Apenas caracteres minúsculos e sem espaços.
Verificação: